Free songs
Info: 912 254 063 | 223 238 289 E-mail: aptidaocompleta@outlook.pt

Operador de Central de Alarmes

As funções do operador da central de alarmes estão definidas na alínea 10 artº 18 da lei 34/2013 de 16 de maio.

Os operadores da central de alarmes dispõem dos mais variados meios tecnológicos, de modo a obter maior eficiência no serviço prestado aos Clientes (GSM, GPS, Transmissão de Dados e Imagem, etc.)

Esta formação transmite os conhecimentos técnicos de segurança electrónica e prevenção da prática de crimes, com aquisição de competências em vigilância electrónica e operação de centrais de recepção e monitorização de alarmes e videovigilância; Promovendo a aquisição de competências de resposta a alarmes e de registo de incidentes.

È nesse sentido que a APTIDÃO COMPLETA prepara uma formação de qualidade, com a garantia que essa será refletida na qualidade do serviço prestado pelos nossos formandos nos seus locais de trabalho.


Programa Formativo:

 

Enquadramento

A lei 34/2013 de 16 de Maio que regulamenta a atividade de segurança privada define os requisitos para o exercício da atividade de segurança privada, bem como os requisitos específicos para a admissão como pessoal de vigilância.

A actividade de segurança privada é uma força complementar e subsidiaria das forças de segurança pública do estado, tendo como regulamentação de base a lei nº 34/2013 de 16 de Maio.

Para o exercício das suas funções, o pessoal de vigilância deve ser titular de cartão profissional emitido pela Secretária-geral do Ministério da Administração Interna, válido pelo prazo de cinco anos e suscetível de renovação por iguais períodos de tempo.

As funções do operador da central de alarmes estão definidas na alínea 10 artº 18 da lei 34/2013 de 16 de maio.

Os operadores da central de alarmes dispõem dos mais variados meios tecnológicos, de modo a obter maior eficiência no serviço prestado aos Clientes (GSM, GPS, Transmissão de Dados e Imagem, etc.)

Esta formação transmite os conhecimentos técnicos de segurança electrónica e prevenção da prática de crimes, com aquisição de competências em vigilância electrónica e operação de centrais de recepção e monitorização de alarmes e videovigilância; Promovendo a aquisição de competências de resposta a alarmes e de registo de incidentes.

È nesse sentido que a APTIDÃO COMPLETA prepara uma formação de qualidade, com a garantia que essa será refletida na qualidade do serviço prestado pelos nossos formandos nos seus locais de trabalho.

Objetivo Geral Base
  • Dotar o formando de conhecimentos relativos ao sistema de segurança interna e enquadramento normativo da atividade de segurança privada em Portugal;
  • Promover a aquisição de competências em matéria de direitos, liberdades e garantias;
  • Promover a aquisição de competências para identificação dos elementos essenciais dos tipos legais de crimes contra as pessoas e património; de causas de exclusão da ilicitude e culpa;
  • Promover a aquisição de competências quanto aos direitos e deveres do pessoal de segurança privada, bem como o conhecimento e identificação das condutas proibidas;
  • Dotar o formando de conhecimentos quanto ao regime laboral e de saúde e segurança no trabalho aplicável ao pessoal de segurança privada;

Requesitos

Previstos nas alíneas a) a d), f) e g) do número 1 e 2 do Art. 22º Lei n.º 34/2013 de 16 de maio

 

861- Proteção de pessoas e bens 

Formação Inicial de Qualificação

30 Horas Presenciais

A todos aqueles que pretendam adquirir uma formação na área da Segurança Privada na especialidade de Operador Central de Alarmes.

 

Conteúdos Programáticos:

  • ALM01- Segurança electrónica e procedimentos operacionais de emergência em alarmes– 10 Horas 
  • ALM02- Operação de meios de videovigilância e centrais de alarme – 10 Horas
  • ALM03- Registos técnicos e relatórios e simulação prática de incidentes – 10 Horas

METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO: Considerando os trabalhos de grupo, classificações nos testes, exercícios práticos, assiduidade, pontualidade, motivação e participação, o formador irá avaliar os formandos e assinalar numa grelha de observação a avaliação correspondente a cada formando.

METODOLOGIAS DE FORMAÇÃO: A APTIDÃO COMPLETA procura sempre adequar os métodos pedagógicos (métodos Expositivo, Interrogativo, Demonstrativo, Trabalhos individuais e/ou grupo, Exercícios práticos e simulações) aos conteúdos programáticos e às características dos formandos para se considerar a utilização das técnicas ao contexto real de trabalho, bem como os ritmos e estilos de aprendizagem de cada formando.

RECURSOS HUMANOS: 3 formadores com experiência na área, certificados profissional e pedagogicamente, Coordenador pedagógico.

RECURSOS MATERIAIS: Projetor de vídeo, quadro branco, material para formação pratica

RECURSOS PEDAGÓGICOS: Manual do formando, cópias dos exercícios práticos

LOCAL E RESPECTIVOS REQUISITOS: Sala de formação com as seguintes características: Ampla, com luminosidade adequada (natural ou artificial), isolada de ruido, capacidade no mínimo para o número de formandos identificado para a ação em causa, equipada com mesas e cadeiras em bom estado e em número suficiente, quadro branco ou flip-chart e com condições para a ligação de equipamento elétrico de apoio à formação.

METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO: Serão utilizados os métodos expositivo, demonstrativo e ativo, recorrendo à análise de casos práticos e a trabalhos individuais e/ou em grupo.

SISTEMA DE AVALIAÇÃO: O sistema de avaliação dos módulos de formação tem por referência os objetivos e os conteúdos fixados nos planos de formação.

A avaliação é feita em cada módulo e é da responsabilidade do formador ou equipa de formadores.

REGIME DE FALTAS: A participação dos formandos na formação é obrigatória, com uma percentagem mínima de 0% das sessões de cada módulo.


PERFIL DE SAÍDA: 

No final da ação formativa, os participantes devem ser capazes de exercer funções integrados num sistema de segurança privada. A avaliação final desta formação realiza-se em conjunto. Esta formação é reconhecida pela Policia de Segurança Publica através da emissão de cartão profissional.

O operador de central de alarmes desempenha especificamente as funções de operação de centrais de recepção e monitorização de sinais de alarme e de videovigilância, efectuando o tratamento de alarmes, nomeadamente solicitando a intervenção das entidades adequadas em função do tipo de alarme.

Back to Top
Especializada em formação e consultadoria, a Aptidão Completa tem como proposta trabalhar com planeamento estratégico e soluções customizadas. Com sede em Paredes e actuação em todo o país, é destaque no mercado. Atende pessoas físicas e empresas de médio e grande porte do sector da Segurança Privada entre outros. Para a Aptidão Completa, todo o cliente é único. Para cada cliente e os seus desafios temos uma resposta sob medida, trabalhada de forma integrada, e que articula pessoas, estratégia, tecnologia e serviços numa acção sinérgica, coesa. Inteligência é a base da nossa actuação, presente em todas as etapas do processo do nosso trabalho. Actuando em diversas áreas, prestamos um atendimento diferenciado ao cliente e provê todos os elementos indispensáveis à sua satisfação.